quinta-feira, 31 de março de 2016

"Vertigem"


"Tudo é negro menos os nossos olhos
que dardejam luz no estupor da montanha incendiada pelo sol levante"

de "Vertigem", Adolfo Luxúria Canibal / António Rafael

Mais neve para o fim-de-semana


O próximo fim-de-semana promete trazer mais neve para a Serra do Gerês.

quarta-feira, 30 de março de 2016

O complexo mineiro dos Carris (V)


O complexo mineiro dos Carris I, II, III e IV.

Ainda nesta pequena avenida estavam localizados três outros pequenos edifícios. O mais pequeno seria uma pequena casa de banho e no local são visíveis as marcas dos esgotos e condutas, além do local onde estaria a sanita. Um pouco mais abaixo encontramos a base em alvenaria do que então era a enfermaria do complexo mineiro. Este edifício tinha paredes de madeira que eram revestidas exteriormente a lusalite e tinha uma cobertura de duas águas, também a lusalite. As duas dimensões principais eram de 7,10 metros de comprimento por 4,20 metros de largura e estava dividido em três compartimentos com chão de betonilha: enfermaria (4,30 x 3,90 metros), quarto (2,40 x 1,70 metros) e hall de entrada (2,40 x 2,00 metros). Ainda mais em baixo um outro edifício servia de oficina e armazém.

Localizado a pouca distância e ligeiramente a Sudeste do edifício do pessoal superior da mina, encontrava-se ainda outros dois edifícios que serviam de WC, chuveiros (balneário) e alojamento das empregadas da direcção e pessoal da cozinha. O balneário era composto de um único pavimento com as dimensões principais de 8,20 metros de comprimento e 4,50 metros de largura. O edifício constava de lavabos, chuveiros e WC. As paredes eram em alvenaria ordinária e a cobertura era de duas águas em lusalite. O esgoto desta instalação sanitária era feito para uma fossa de alvenaria revestida a cimento com as dimensões de 1,50 x 1,50 x 1,50 metros, distando do edifício 2,00 metros.

Plantas e alçados dos armazéns existentes na área residencial.




Plantas e alçados da enfermaria.

Plantas e alçados dos edifícios do WC e balneário.

Texto adaptado de "Minas dos Carris - Histórias Mineiras na Serra do Gerês", Rui C. Barbosa - Dezembro de 2013.

Fotografias © Rui C. Barbosa (Todos os direitos reservados)

Neve até 4 de Abril


O mês de Abril deverá entrar com paisagens de neve nas Minas dos Carris e segundo as previsões deverá nevar até ao dia 4.

terça-feira, 29 de março de 2016

IPMA: Queda de neve em cotas baixas no início da Primavera


Comunicado do Instituto Português do Mar e da Atmosfera...

Informação Meteorológica Comunicado válido entre 2016-03-29 13:09 e 2016-03-31 00:00 Queda de neve em cotas baixas no início da Primavera Devido a uma superfície frontal fria, que irá passar o Minho e Douro Litoral no início da tarde do dia 30 (quarta-feira), progredindo para sueste, prevê-se períodos de chuva, passando a regime de aguaceiros durante a tarde, com queda de neve nas terras altas, descida acentuada da temperatura e aumento da intensidade do vento.Assim, a partir da tarde ocorrerá queda de neve acima dos 1000 metros na região Norte, em especial nas serras da Peneda-Gerês, Larouco, Alvão, Marão e Montesinho e na região Centro, em especial nas serras da Estrela e Montemuro, podendo a queda de neve chegar aos 400/600 metros em alguns locais destas regiões. Existe uma possibilidade de queda de neve na serra de São Mamede acima dos 600/800 metros para o final do dia.Durante a tarde, irá aumentar a intensidade do ven to soprando temporariamente forte e com rajadas até 80 km/h no litoral oeste e nas terras altas.Para mais detalhes sobre a previsão e os avisos meteorológicos deverá consultar aqui.


Continua a telenovela do resgate do dia 9 de Janeiro na Serra do Gerês


Se todos poderíamos esperar um pingo de humildade por parte do Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas em relação à sua atitude perante os acontecimentos do dia 9 de Janeiro de 2016 nas Minas dos Carris e no Vale do Alto Homem, este novo episódio vem mostrar que não e fácil para uma instituição do Estado e para determinadas pessoas, admitir e assumir os erros.

Isto só se explica pelas fortes pressões que existem para se encontrar bodes expiatórios ou «culpados» pelo que aconteceu naquele dia, enquanto que de certa forma se tenta sacudir a água do capote.

Os documento já aqui revelados provam que as declarações nas quais se baseia todo este processo não correspondem à verdade dos factos e não passam de uma fantasia. Porém, o ICNF insiste em usar factos fantasiosos para querer culpar os três montanhistas por algo que não fizeram.

Aquilo que está nos documentos que aqui hoje são revelados, mostram um desespero em arranjar algo, por mais pequeno que seja, para culpabilizar os três homens chegando-se ao ridículo de fazer assumpções a partir do local onde as viaturas estavam estacionadas. Para o ICNF, estacionar na Portela do Homem implicará logo de imediato uma caminhada às Minas dos Carris por zona que requer autorização.

No fundo, até deveremos ficar satisfeitos com esta postura do ICNF. Isto significa que no próximo Verão não iremos assistir à vergonha anual de ver o Rio Homem pejado de banhistas untados de protector solar a conspurcar as suas águas!

Atentem também à linguagem utilizada nas questões que são colocadas. Este palrar que de forma insidiosa tenta confundir para depois culpar, não tem lugar numa situação destas.


Depois de mais este episódio, não restará muito mais a fazer a quem insiste no erro! Costuma-se dizer que a porta para sair é sempre mais larga do que a porta para entrar e todos devemos exigir a excelência de quem conduz processos deste tipo, que de estarem pejados de contradições e mentiras já deveriam ter sido simplesmente terminados.

Vejamos as questões que são colocadas: a questão 1) é feita partindo do que está escrito no auto da GNR e este auto mente em relação ao sucedido, pois à hora que é indicada que os três montanhistas se encontravam a fazer o percurso, estavam na verdade a auxiliar os bombeiros no resgate dos três homens  a serem socorridos; a questão 2) não vejo qual a relevância desta pergunta para o caso em questão e parece-me que é apenas uma forma de tentar encontrar algo a partir do qual se possa incriminar os três montanhistas - no fundo o ICNF quer arranjar provas para algo que não aconteceu; as questões 3 e 4) estas questões foram respondidas pelos três montanhistas já na altura dos acontecimentos - tendo vindo das Minas das Sombras.

Assim, parece que o auto da GNR já deixou de ter a importância que até aqui tinha e o ICNF tenta desesperadamente uma saída airosa para o novelo no qual se enredou. 

Sendo toda a situação vivida no dia 9 de Janeiro de 2016 uma situação de emergência, o ICNF continua a ignorar propositadamente o que está escrito no Artigo 12º, Ponto 1, alínea i) do Plano de Ordenamento do Parque Nacional da Peneda-Gerês, onde é referido que "Nas áreas de protecção total a actividade humana só é permitida: (...) Situações de risco ou ocorrência de acidente grave ou catástrofe." Isto é, em condições de emergência a zona de protecção total pode ser percorrida sem haver a necessidade de se solicitar uma autorização prévia ao ICNF, IP!

Assim, mais uma vez, Facto... o ICNF, IP executa um Processo de 'Contraordenação' tendo por base as informações inverdadeiras prestadas pela GNR, acreditando em mentiras e fantasias, e como tal não tem o cuidado de escutar os intervenientes nas ocorrências;

Tendo em conta tudo isto... tenham vergonha na cara e peçam desculpas!

Meteorologia para as Minas dos Carris e Pico da Nevosa


Com a aproximação de uma frente fria, os próximos dias poderão assistir à queda de neve nas Minas dos Carris e nos pontos mais altos da Serra do Gerês e do Parque Nacional.

segunda-feira, 28 de março de 2016

Continuação do tempo frio nas Minas dos Carris


Os próximos dias serão de frio. chuva e possivelmente de neve nas Minas dos Carris e no Pico da Nevosa.

domingo, 27 de março de 2016

Equipamento roubado encontrado no Rio Maceira


No passado dia 24 de Março, foi encontrada uma pequena mochila com umas calças, toalha, t-shirt, meias e roupa interior, «deixada» no leito do Rio Maceira mesmo junto à ponte que serve a estrada 308-1 entre a Portela de Leonte e a Portela do Homem.

A mochila não tinha qualquer identificação e pelo estado das roupas parecia já ali estar há alguns dias.

Tinha aspecto de ter sido roubada a alguém que possivelmente estaria a tomar banho numa lagoa e que despiu a sua roupa para dar um mergulho.

Todo o equipamento foi deixado no posto da GNR nas Caldas do Gerês para ser reclamado.

Caso tenha conhecimento de alguém que tenha sido vítima de assalto recentemente e a quem lhe tenham tirado o que está descrito em cima, é favor de se dirigirem ao posto da GNR nas Caldas do Gerês.

Abril neves mil?


O mês de Abril deverá começar com temperaturas baixas e possível queda de neve nas Minas dos Carris.

sábado, 26 de março de 2016

Serra do Gerês, alguns momentos fotográficos


Diz-se que a fotografia capta instantâneos de determinados momentos. Em tempos definiu-se que um momento tem a duração de três segundos. Assim, estas imagens captam vários momentos: aqueles em que nos despertaram para a paisagem que os nossos olhos viam; o tempo que demorou a formar a emoção que fez com que esses momentos tivessem um significado; o olhar pela objectiva e achar que foi naquele segundo que deveríamos premir o botão da máquina fotográfica; a satisfação de ter estado ali, naqueles momentos em que registamos aqueles instantâneos específicos. Se a fotografia revela as emoções que sentimos aquando daqueles momentos, já ficará para a sensibilidade de cada um que, nestes momentos, irão ver as imagens...


Pé de Cabril visto desde a Chã do Carvalho a caminho do Curral do Vidoal.


O Vale de Teixeira com os currais de Teixeira e Cambalhão vistos desde a Preza.


Curral do Conho


O Conho no curral com o mesmo nome.


Em último plano o Altar de Cabrões visto na descida para o Curral de Absedo.


Em último plano o Altar de Cabrões visto na descida para o Curral de Absedo.


O Curral de Absedo.


Vista do Vale do Alto Homem desde o Absedo.


O Vale de Leonte com a Corneda à esquerda e o topo do Pé de Cabril à direita.


Pena Longa na Mata de Albergaria

Fotografias: © Rui C. Barbosa (Todos os direitos reservados)

Previsão de queda de neve na Serra do Gerês


Mantêm-se as previsões da possibilidade de queda de neve na Serra do Gerês até 31 de Março.

sexta-feira, 25 de março de 2016

Trilhos seculares - Curral de Absedo


O Curral de Absedo é um dos locais mais peculiares de toda a Serra do Gerês. A isso leva o seu entorno e principalmente a sua localização. O seu isolamento e a dificuldade em lá chegar, tornaram aquele lugar num local místico, num dos currais mais extremos da Serra do Gerês.

Localizado sobranceiro ao Vale do Alto Homem, a paisagem é única! O Vale do Homem é visto numa perspectiva que a Encosta do Sol não consegue dar. A partir daqui, tudo é grandioso e só a nossa pequenez se torna evidente.

A caminhada foi longa e levou-nos a sair da Portela de Leonte, subindo a encosta em direcção ao Curral do Vidoal passando pela Chã do Carvalho. Do Vidoal seguimos em direcção à Presa e daqui à Chã das Rubias (Chã da Fonte), seguindo depois para a Chã das Gralheiras, Lomba de Pau e descendo depois para o Conho.

Depois de um curtíssimo descanso no Curral do Conho, seguimos em direcção aos Prados da Messe, passando o Ribeiro do Porto das Vacas e ao lado do Curral da Pedra. Tomando o longo carreiro que liga os Prados da Messe às Minas do Borrageiro, passamos ao lado do Curral da Abelheira e à sombra de Porta Ruivas, chegando depois ao Curral dos Bezerros e subindo ao lado do Cabeço da Cova da Porca (Torrinheira), para depois baixar em direcção ao Curral do Abeso. O regresso foi feito no percurso inverso.

Algumas imagens do dia...























































Fotografias: © Rui C. Barbosa (Todos os direitos reservados)