sexta-feira, 15 de janeiro de 2021

Paisagens da Peneda-Gerês (DCCCXVII) - Velhas galerias

 


As velhas galerias da concessão mineira do Salto do Lobo - Minas dos Carris, Serra do Gerês. A fotografia mostra o aspecto ruinoso de parte do 2.º piso da mina a 27 de Abril de 2008. Esta secção da galeria fazia a ligação entre o elevador e o poço mestre ainda visível à superfície.

Fotografia © Rui C. Barbosa (Todos os direitos reservados)

Serra do Gerês - Do Lameirão à Chã de Braz e Junceda

 


Esta foi daquelas caminhadas que me trouxe algo de novo em relação à Serra do Gerês, mais propriamente numa parte do Vale do Rio Gerês que está tomada pelas mimosas e que «esconde» por entre ramadas secas e antigos estradões empinados, ruínas esquecidas mas que em tempos fizeram parte da vivência serrana. Hoje são um local de silêncio para dias de «confinamento».

A ideia seria apenas esticar um pouco as pernas nestes dias que custam a passar e que me «obrigam» a ficar em casa por decisões que não se entendem. Mas eles é que são os especialistas e o bicho não se pega nas igrejas e locais de culto. Vá-se lá saber porquê?!...

Assim, iniciando a jornada de 10 km junto da Fonte de Lamas (no Lameirão), segui em direcção à Casa Florestal de Lamas e prossegui pelo caminho florestal que percorre a Encosta de Lamas até chegar à Estrada das Voltas de S. Bento. Prosseguindo na estrada em direcção às Caldas do Gerês, passei a Quelha da Buraca, segui então o traçado da GR50 Grande Rota da Peneda-Gerês passando pela Pereira e chegando ao Zanganho. Aqui, prossegui pela Variante das Caldas até encontrar a placa que indica o PR6 Trilho dos Miradouros e que inicia uma longa subida para a Junceda através de velhos caminhos florestais e carreiros de pé posto.

Iniciando a subida pelo caminho florestal, este vai-se dividir em dois uns metros mais adiante. O caminho que segue à nossa direita leva-nos a prosseguir no PR6, enquanto que o caminho que segue à esquerda inicia uma vertiginosa subida encosta acima. A paisagem é toda ela nesta parte tomada pelas invasoras e pouco se vai vislumbrando ao longo da subida. No entanto, o caminho vai-nos levar à chamada Chã de Braz onde se pode observar uma casa de armazém de material agrícola e um conjunto de ruínas.

Se até aqui o caminho florestal estava mais ou menos limpo de mimosas, o mesmo já não se pode dizer do resto do percurso que nos levaria de volta ao traçado do Trilho dos Miradouros. Local de escassa passagem, convém sempre estar atento às voltas do caminho, pois a distração pode-nos levar em poucos metros a um desvio e a perder o vislumbre por onde queremos ir. O antigo caminho florestal vai-nos levar a um interessante conjunto rochoso que permite uma magnífica vista sobre o Vale do Rio Gerês e sobre as Caldas do Gerês, bem como sobre a Corga da Figueira, Laspedo e o Junco. Prosseguindo pelo caminho, aqui completamente vencido pelo mato, vamos chegar ao traçado do PR6 e continuando a subir, chegamos então à Casa Florestal de Junceda. Daqui segue-se o traçado do PR6 que coincide com a GR50 até chegar à Chã de Lamas e Lameirão.

Ficam algumas fotografias do dia...












Fotografias © Rui C. Barbosa (Todos os direitos reservados)

Previsão meteorológica para Nevosa/Carris (15 a 23 de Janeiro)

 


Os próximos dias serão muitos distintos em termos meteorológicos nas Minas dos Carris. Entre 15 e 18 de Janeiro teremos dias de céu limpo, enquanto que a partir do dia 19 de Janeiro poderemos assistir à chegada da chuva e neve. No entanto, é ainda uma previsão a cinco dias e os padrões poderão alterar de forma significativa.

quinta-feira, 14 de janeiro de 2021

Esclarecimento sobre o encerramento da fronteira da Portela do Homem no dia 10 de Janeiro

 


No dia 10 de Janeiro referi que a fronteira da Portela do Homem se encontrava encerrada em ambos sentidos, tal como pode ser lido em Encerrada a fronteira da Portela do Homem.

Na altura, e por falta de informação mais detalhada e tendo em conta o que havia ocorrido na Galiza em termos da pandemia Covid-19, assumi que o encerramento tivesse sido decretado devido a esta última rezão, apesar de estranhar desde logo a ausência de barreiras físicas do lado Galego.

No entanto, e como se pôde constatar nos dias seguintes, o encerramento ficou-se a dever às más condições da estrada EN308-1 após a queda de neve e posterior formação de uma camada de gelo no piso que a tornava perigosa para a circulação rodoviária.

Fotografia © Rui C. Barbosa (Todos os direitos reservados)

Paisagens da Peneda-Gerês (DCCCXVI) - O Arco do Borrageiro

 


Cliché clássico da época do Gerês Termal, o Arco do Borrageiro (Serra do Gerês) é uma característica geológica peculiar a visitar quando se caminha para um dos pontos mais elevados da serra.

Fotografia © Rui C. Barbosa (Todos os direitos reservados)

Previsão meteorológica para Nevosa/Carris (14 a 22 de Janeiro)

 


A precipitação poderá voltar às Minas dos Carris a 19 de Janeiro, havendo a possibilidade de queda de neve nos dias 20 e 21.

quarta-feira, 13 de janeiro de 2021

Serra Amarela - "Trilho do Javali"

 


O "Trilho do Javali" é um percurso de pequena rota que se desenrola nas faldas da Serra Amarela e que nos proporciona um conjunto de magníficas paisagens.

O percurso foi desenvolvido por Carlos Moreira, Presidente da Associação Pé d'Rios, e o seu traçado pode ser obtido aqui.

Segundo a apresentação que é feita na página da associação, é um percurso "para os amantes do GPS que caminham pelas montanhas do nosso parque nacional em busca de novos trilhos e locais mágicos no Gerês (...)." O trilho desenrola-se no entorno da aldeia de Germil, Ponte da Barca, sendo um trilho circular de 9,5 km que tem por objectivo divulgar o território a nível paisagístico e cultural da Serra Amarela.

Iniciando e terminando em Germil, fiz o percurso na direcção da aldeia de Cutelo. Nesta parte o Trilho do Javali tira partido do traçado da GR34 Grande Rota da Serra Amarela e da GR50 Grande Rota da Peneda-Gerês. Seguindo pelas ruelas de Germil, o percurso vai-nos levar por um mosaico agrícola até passarmos pelo Ribeiro de Portomalho e depois encosta acima até à Portela do Fojo e Cruz de Ferro. Aqui, inicia-se a descida nas Tomadas da Costa para a pequena aldeia de Cutelo. Os traçados da GR34/GR50 são abandonados aqui. Descendo à pequena aldeia, vamos tomar um velho caminho calcetado por grandes pedras que nos vai levar para a Tomada do Fojo até às imediações do Cardeiro, baixando depois para a estrada (CM1149). Após percorrer algumas dezenas de metros pela estrada, vamos abandoná-la para seguir para os Seixos Brancos e Lameirinhos, cruzando outra estrada (CM1348) para nos dirigirmos para o Fragão do Penedo Baixo que nos proporciona uma magnífica paisagem sobre o Vale do Rio Lima e encostas da Serra do Soajo.

Do Fragão do Penedo Baixo vamos descer para a Corga da Cerca, contornando o Pião para a 'A Tomada', seguindo depois por um caminho calcetado para Germil de Baixo e terminando o percurso onde iniciamos em Germil de Cima.

Ficam algumas fotografias do dia...




























Fotografias © Rui C. Barbosa (Todos os direitos reservados)