sábado, 20 de Setembro de 2014

Orvalhinha - Drosera rotundifolia



Crescendo em solos com poucos nutrientes mas húmidos, Orvalhinha, Drosera rotundifolia, é uma das raras plantas carnívoras existentes em Portugal. O olhar atento facilmente as encontra junto dos cursos de água nas zonas mais elevadas da Serra do Gerês.

O nome da planta surge devido ao seu aspecto que se assemelha a uma planta após uma noite de orvalho. na verdade, as gotículas representam uma viscosidade que a planta segrega e com a qual captura pequeno insectos.

As imagens foram registadas na Garganta das Negras.




Fotografias © Rui C. Barbosa

quinta-feira, 18 de Setembro de 2014

A mina como eu a recordava...


Fui pela primeira vez às Minas dos Carris em Setembro de 1989. Esta primeira visita foi uma das mais intensas a tentar absorver tudo o que via, cheirava e sentia daquele lugar. Desde então voltei lá muitas mais vezes e explorei as entranhas da Terra, ou pelo menos este é a forma como gosto de imaginar que o tenha feito.

A 5 de Setembro de 1998, já com uma vontade imensa de saber cada vez mais, voltei e entrar naquele mundo escuro, frio e húmido. Quando regressei a casa tentei logo desenhar o que me lembrava daquelas galerias negras onde a luz da boca mina era uma ténue realidade do mundo que ficava lá fora.

O desenho é a expressão da minha memória daquele dia...

Fotografia © Rui C. Barbosa

Encontro de Caminheiros - Pitões das Júnias


Para relembrar que terá lugar no dia 27 de Setembro de 2014 um Encontro de Caminheiros na aldeia de Pitões das Júnias, Montalegre.

O encontro tem como objectivo partilhar vivências de montanha entre os participantes. A participação é livre e gratuita.

Do programa consta um almoço convívio e uma caminhada a definir no local.

domingo, 14 de Setembro de 2014

Espigueiros do Lindoso


A vila do Soajo é famosa pelo seu belo iconográfico conjunto de espigueiros que caracterizam a paisagem desta pitoresca vila minhota. Porém, viajando mais acima no vale do Rio Lima, chegamos à aldeia do Lindoso que para além de um castelo que serviu em tempo como defesa avançada da nacionalidade perante as ameaças castelhanas, possui um imponente conjunto de 50 espigueiros que forma a eira da aldeia.

Estas construções datam dos séculos XVII e XVIII, além de um ou outro mais recente. Os espigueiros são construções em pedra que têm como função secar o milho, protegendo-o também da investida dos roedores através da sua construção elevada. A secagem do milho é feita recorrendo a fendas nas paredes laterais que permitem a arejamento do seu interior durante os meses de Inverno.




































Fotografias © Rui C. Barbosa