domingo, 29 de julho de 2007

sábado, 28 de julho de 2007

A noite cai em Carris...

Carris, 27 de Janeiro de 2007

Quando a noite cai em Carris, o silêncio e as sombras tomarão conta do lugar...

Fotografia © Rui C. Barbosa

sexta-feira, 27 de julho de 2007

Caminhada Histórica às Minas dos Carris (II)

Carris, 19 de Julho de 2007

A pedido de vários leitores deste blogue reconsiderei a decisão tomada há umas semanas atrás e decidi organizar uma Caminhada Histórica às Minas dos Carris.

Esta será uma caminhada única, não pretendendo organizar mais caminhadas deste tipo pelas razões que já anteriormente apontei e que estão relacionadas com os entraves colocados pelo Parque Nacional da Peneda-Gerês à organização deste tipo de eventos.

Assim, esta Caminhada Histórica às Minas dos Carris deverá ter lugar a 18 de Agosto (Sábado) próximo.

A Caminhada Histórica às Minas dos Carris tem como objectivo dar a conhecer aquele canto singular do Parque Nacional da Peneda-Gerês. A participação nesta caminhada não tem qualquer custo de inscrição mas o número de pessoas a incluir no grupo tem de ser necessariamente limitado. Quem desejar participar ou obter mais informações deverá enviar um e-mail para rcb@netcabo.pt.

A proposta que é feita é a de juntar um grupo de pessoas que estejam interessadas em caminhar o Vale do Alto Homem e percorrer as ruínas do antigo complexo mineiro de Carris e das Sombras. Como ponto extra poderemos adicionar uma ida ao ponto mais alto da Serra do Gerês, o Pico da Nevosa, caso haja tempo para tal.

O programa proposto é o seguinte:

7.00 - Concentração em Braga em frente à Bracalândia.
7.15 - Saída em direcção às Caldas do Gerês.
8.00 - Pequeno-almoço nas Caldas do Gerês (Café Ramalhão).
8.30 - Saída em direcção à Portela do Homem.
9.00 - Início da caminhada até às Minas dos Carris.
12.30 - Chegada às Minas dos Carris. Almoço. Visita às ruínas das Minas dos Carris.
16.00 - Regresso à Portela do Homem pelas Minas das Sombras.
20.30 - Regresso a Braga.

O regresso pelas Minas das Sombras só será feito se as condições físicas e meteorológicas o permitirem!

Fotografia © Rui C. Barbosa

quarta-feira, 25 de julho de 2007

Envolto nas trevas, uma chegada aos Carris...

Carris, 19 de Julho de 2007

Após uma caminhada envolto pelos sons da noite, chegar aos Carris envolto nas trevas... a sensação de um olhar estranho que nos fita...
Fotografias © Rui C. Barbosa

terça-feira, 24 de julho de 2007

Outros lugares de Carris (XIX)

Carris, 19 de Julho de 2007

Para além das mais 'modernas' construções em Carris, também encontramos antigas construções em pedra. Algumas dessas construções terão sido antigos abrigos de pastores, porém outras apresentam estruturas mais elaboradas podendo ter mesmo duas ou três divisórias perfeitamente distintas.

Admitindo que também possam ter sido abrigos de pastores, estas construções podem também ter sido os abrigos dos primeiros mineiros de Carris quando a extracção do minério se fazia à superfície. Talvez estas construções datem antes do início da Segunda Guerra Mundial.

Fotografias © Rui C. Barbosa

segunda-feira, 23 de julho de 2007

Estudo fotográfico da concessão mineira do Salto do Lobo

Carris, 19 de Julho de 2007

É na concessão n.º2234 (Salto do Lobo) onde se encontram os dois poços de mina existentes nas Minas dos Carris. Um dos poços representa um dos maiores perigos existentes naquela zona pois encontra-se a céu aberto e sem qualquer tipo de protecção que evite uma queda de mais de 70 metros ao visitante desprevenido. Estas imagens mostram o estado do interior de parte desta concessão. O acesso ao interior da mina não deve ser levado a cabo sem o equipamento adequado e sem se ter tomado todas as precauções necessárias. De forma geral não é aconselhada a entrada na mina pois o perigo de derrocada é real.

Esta fotografia mostra o que deveria ser a galeria de acesso a um outro sistema de galerias da concessão do Salto do Lobo. A parede ali colocada impede agora a passagem e desconhece-se o estado das galerias após esta passagem.


Nesta parede localizava-se o quadro de controlo do elevador...


O quadro de controlo do elevador jaz agora no chão completamente destruído...


Esta fotografia mostra o que parece ser um dispositivo mecânico que deveria servir para accionar qualquer mecanismo no quadro do elevador. Este dispositivo foi recuperado do interior da mina e será posteriormente reparado. Quem sabe se no futuro poderá fazer parte de um espólio em exposição relacionado com as Minas dos Carris.

O elevador desta mina era composto por duas cabines. Uma das cabines encontra-se neste nível enquanto que a segunda estará mergulhada na água no fundo da mina... perdida para sempre. Neste nível o seu espaço está vazio e apenas protegido por duas grades ferrugentas que permitem a observação do poço da mina.

Esta fotografia mostra um espaço que antigamente era ocupado por uma plataforma de madeira na qual existia um alçapão que dava acesso à escada de madeira visível na imagem. A plataforma de madeira colapsou deixando ver a escada de madeira que se encontra em muito mau estado e inutilizável. Esta espaço encontra-se mesmo ao lado do poço do elevador.


O aspecto enferrujado de uma das cabines do elevador. Estas cabines serviam para o transporte dos mineiros e dos vagões de transporte de minério, sendo ainda visíveis no chão da cabine os dispositivos de fixação dos vagões.


Um outro aspecto da cabine do elevador. O seu mau estado é evidente...


Um dos aspectos curiosos no poço da mina é a sua parte superior, isto é o espaço acima do nível onde se encontravam as cabines. Assim, olhando para cima ainda é possível se observar uma das roldanas de suporte dos cabos da segunda cabine. É difícil discernir o que se encontra para lá das estruturas de madeira e metal que se observam nesta imagem...

Uma escada de madeira jaz no chão perto do poço do elevador... nunca mais será utilizada...


O poço da mina! Passado uns metros as trevas não deixam ver o que está para lá do limite da luz. Dando acesso aos diversos níveis da mina, esconde no seu fundo uma das cabines do elevador. Tendo em conta que o desnível até à saída de emergência ronda os 200 metros, a sua profundidade é no entanto desconhecida. As suas galerias ainda guardam muitas ferramentas, vagões e outro material de laboração mineira... um espólio perdido para sempre, uma memória que se vai apagando...

Apesar de serem visíveis outros vagões junto da saída de emergência do Corgo das Negras, este é o único vagão que se pode observar no interior da mina.

...aos poucos uma memória que se apaga, enterrada nas areias do tempo...

Fotografias © Rui C. Barbosa

domingo, 22 de julho de 2007

Uma capela? Não, é só uma cozinha...

Carris, 19 de Julho de 2007

Um dos edifícios mais peculiares no complexo mineiro dos Carris, encontra-se à sombra do Penedo da Saudade. Muitas vezes confundido com uma pequena capela, este edifício era na realidade uma cozinha que servia uma casa pré-fabricada que existia ao seu lado e cuja estrutura há muito que desapareceu. Esta casa assentada numa base de pedra e cimento na qual ainda se pode observar uma pequena divisória que albergaria um gerador e uma outra divisória que servia de garagem. Aparentemente, e segundo os testemunhos recolhidos, esta casa era ocupada pelo responsável pela mina.

A casa terá sido desmantelada após o final da laboração mineira nos Carris e o resto da estrutura ficou ao abandono e à mercê dos elementos que ao longo dos anos a foram fragilizando. No entanto o factor que mais contribuiu para a sua degradação terá sido as acções de puro vandalismo e destruição que afectaram todo o complexo.
Fotografias © Rui C. Barbosa

sábado, 21 de julho de 2007

Nascer do dia em Carris...

Carris, 19 de Julho de 2007

O dia nasce em Carris... por entre as nuvens...



Vídeo © Rui C. Barbosa

Olhares sobre Carris.

Carris, 19 de Julho de 2007

Tentando fugir um pouco aos ângulos normais das fotografias das ruínas de Carris, tentei olhar para os edifícios a partir de outros pontos. Carris surge-nos como um local diferente que por vezes já se confunde com a paisagem à medida que a Natureza e os vândalos vão reconquistando o seu lugar, a primeira, destruido o que resta, os segundos...
Desde os tempos antigos que o Homem deixa a sua marca pelos locais que passa. Em certos locais essas marcas são hoje consideradas uma forma de arte antiga e conta-nos estórias do passado. Hoje, em muitos locais, vemos também outro tipo de arte pintada nas paredes e nos muros... é uma arte urbana que reflecte a sociedade onde estamos inseridos... Existe também o pintar das paredes para mostrar o nosso afecto, o nosso amor ardente... Pena é que quem as pintam não tenham a inteligência para compreender quando isso passa a ser uma forma de vandalismo... Infelizmente Carris não escapou a essa praga... Já não tinha bateria na máquina para documentar a declaração de amor, mas prometo que lá voltarei para a imortalizar no tempo...
Fotografias © Rui C. Barbosa

sexta-feira, 20 de julho de 2007

...Carris, pela manhã...

Carris, 19 de Julho de 2007



Vídeo © Rui C. Barbosa

Um novo dia...

Carris, 19 de Julho de 2007

Uma ida a Carris com dois objectivos, sendo um deles fotografar o nascer de um novo dia... Aqui está o resultado com o Sol a nascer às 06h13...

Com o Pico da Nevosa encoberto por um insistente nevoeiro e o olhar para os lados de Pitões das Júnias escondido por algumas nuvens, o efeito visual acabou por ser interessante...

...no silêncio dos Carris recortado pelo som e o frio do vento... lentamente, viu-se as sombras a esconderem-se até chegar a hora de de novo ocuparem o seu lugar...

Assim nasceu um novo dia...

Fotografias © Rui C. Barbosa

109!

Carris, 19 de Julho de 2007

Cumprida a 109ª visita ás Minas dos Carris. Mais uma vez muitos pormenores interessantes... Ficam algumas fotografias... mais virão...

Fotografias © Rui C. Barbosa