segunda-feira, 10 de setembro de 2012

O lixo e a ausência de cidadania

O lixo e a ausência de cidadania andam de mãos dadas em todos os lados. O lixo e a falta de consciência de muitos daqueles que visitam o Parque Nacional da Peneda-Gerês andam abraçados. O lixo é o espelho de uma sociedade burra, analfabeta e mal instruída num país que não sabe cuidar do que tem e que persegue os que cuidam.

Não sendo do Gerês, mas sendo um visitante assíduo, jamais irei perceber como existem pessoas que trazem o lixo para a casa dos outros. Nunca irei perceber pessoas que ao verem que não existem recipientes de recolha do lixo, não são capazes de o transportar alguns quilómetros até encontrarem um local onde o podem depositar!

Esta é a gente estúpida e pequenina que nada oferece ao Gerês e ao Parque Nacional e que nada lhe dá a ganhar. Infelizmente, é este o turismo que o Gerês tem... que tanto oferece e nada ganha, a não ser lixo e gente estúpida e intelectualmente analfabeta!

Também não consigo compreender como é que os serviços da Câmara Municipal de Terras de Bouro numa época turística não reforçam a recolha do lixo e permitem que uma das tão badaladas Sete Maravilhas de Portugal seja assim apresentada a quem a visita! Segundo a autora das fotografias, o cenário da parte da tarde ainda era pior além do usual caos na Portela do Homem. Incompreensível...

Estas imagens foram obtidas às 8h30 do dia 8 de Setembro de 2012 junto à ponte sobre o Rio Homem no início do caminho para os Carris.

Fotografias: © Autora devidamente identificada

9 comentários:

Jose Miguel Barbosa Ferreira disse...

Quando e que as pessoas vão mudar as suas mentalidades? Quando?! E mesmo muito triste....

joca disse...

Partilho da tua opinião que a culpa é dos comportamentos dos visitantes, sendo que ambos sabemos que, no caso, estes visitantes são os banhistas das lagoas do Homem. Claro que era bom que fossem só estes, mas em outros locais serão outros os visitantes a term comportamentos lamentáveis. A CMTB deveria recolher este lixo? Bem seria bom que o pudesse fazer, não sei é se pode ou deve fazer. Desconheço os protocolos entre a CMTB e o PNPG e estamos a falar em área natural e podem haver conflitos de competências. Serão questões formais e estando em causa a imagem do Concelho a CMTB até poderia/deveria ir recolher a esta zona, mas o PNPG deixaria? Se a CM de Montalegre quiser recolher o lixo nas minas dos Carris teria autorização? É que a ti não autorizaram. Apesar de só te terem informado depois.

Rui C. Barbosa disse...

A competência da recolha do lixo na área do PNPG é da competência das câmaras de cada conselho pois foi assim que ficou acordado.

joca disse...

Não conheço o que está acordado, mas é normal que nas populações seja ssim. Na restante área já me parece duvidoso. Se existir uma papeleira no miradouro da Junceda compete à CMTB ir lá? Se fosse o responsável pela recolha entenderia que não, mais ainda com o actual estado do estradão.
Na Portela do Homem parece que o lixo é recolhido 2 vezes por semana. Será pouco para o Verão, concordo. Só que sendo um serviço concessionado, qualquer alteração teria um custo extra que justificadamente deveria ser assumido pelo PNPG. Afinal são é o parque que fica com as taxas de acesso. Falta ainda saber se o PNPG autoriza que haja um ponto de recolha junto ao estradão dos Carris.

Rui C. Barbosa disse...

Louro, em toda a área do PNPG é assim que está acordado. As câmaras ficaram responsáveis pela recolha do lixo e pela colocação dos respectivos locais de deposição.

Anteriormente tudo isto era competência do PNPG.

joca disse...

Tenho sérias dúvidas que possam ser as CM a escolher os locais. Aliás, não perceberia que pudessem escolher um qualquer local. Mesmo que nem sempre concorde com os critérios do parque. O melhor seria mesmo apostar na mudança dos comportamentos, explicando aos visitantes que deveriam deixar o seu lixo até a um local apropriado. Esperar que a recolha resolva nunca será a solução. Terras de Bouro é um dos concelhos com com valores de recolha de lixo por habitante mais baixos, cerca de metada da média nacional. Um valor que certamente já está inflacionado pelos meses de Verão. Esperar que seja o orçamento da CMTB a resolver o problema não me parece justo. Assim de repente recordo-me de uma série de argumentos invocados pelos senhores do ICNF para lhes devolver a factura.

Rui C. Barbosa disse...

Os locais estão designados à partida. Ou são os núcleos urbanos ou são os locais de pic-nic.

A quando da última acção de limpeza que organizei no PNPG vi que a situação em Lamas de Mouro era uma calamidade, lixo por todo o lado. O pessoal do parque de campismo de Lamas de Mouro contactou com a Câmara Municipal de Melgaço para ir recolher o lixo pois era aquela câmara que estava responsável por isso mesmo.

Da mesma forma, quem faz a recolha do lixo na Portela do Homem, Pedra Bela, pontes do Rio Caldo, Arado, etc é a Câmara Municipal de Terras de Bouro.

Há já muito tempo que o PNPG não faz recolha de lixo... a não ser nas acções de limpeza por voluntários.

joca disse...

Percebo o que dizes, mas por exemplo deveria haver um contentor junto ao acesso aos Carris? Pessoalmente não me parece. Isso não seria um convite a deixar no local o lixo que cada um deveria transportar?
A situação de Lamas de Mouro é muito diferente. Aquilo é um parque de merendas, fica junto a um parque de campismo, junto a uma população, etc...
Só que recolha diária é um serviço que alguns de nós possui e paga muito bem. O custo dessa recolha não é apenas o da recolha (que se multiplica com a dispersão geográfica), a deposição em aterro não é assim tão barata.
Por razões do meu percurso profissional conheço alguma coisa desta área e acredita que é uma enorme fonte de problemas para os municípios pequenos. Por exemplo, há pouco tempo município com maior valor de recolha de lixo por habitante era Porto Santo. Julgo que com quase o triplo. Só como imaginas com muito menos receitas. Como deves perceber em municípios com montanha e com dispersarão geográfica os custos disparam em flecha. No parque, fora das populações, junto aos contentores/papeleiras deveria haver um "placard" informando dos dias de recolha e pedindo às pessoas que sempre que possível depositassem o lixo em outro local. O problema é que a maioria pessoas acham que o lixo é feio, mas são incapazes de o transportar uns kms e os restantes nem sequer se preocupam onde deixam o lixo. Depois da merenda o saquinho fica escondido atrás da árvore para evitar a reprovação do vizinho e segue-se a viagem.

Rui C. Barbosa disse...

Não, não deve haver um contentor junto ao caminho para os Carris nem nunca o disse que deveria haver. Como dizes, as pessoas é que deveriam ter o cuidado de o transportar para o local apropriado (tal como referi no texto).

Não sei de que forma foi feito o acordo para a recolha do lixo tanto nas aldeias do PNPG como nos parques de merenda ou nos locais de concentração de um grande número de pessoas (a Portela do Homem não é local de merenda, mas tem caixotes do lixo lá colocados pela CMTB), mas é um facto que são as câmaras as responsáveis pela sua recolha.