quinta-feira, 5 de setembro de 2019

Trilhos PNPG - Do Campo do Gerês às Caldas do Gerês (na Grande Rota da Peneda-Gerês)


O percurso entre o Campo do Gerês e as Caldas do Gerês é um dos mais curtos da Grande Rota da Peneda-Gerês 'GR 50' (1)

Esta Grande Rota vai em breve ser "percurso principal para a visita" ao nosso único Parque Nacional. O percurso liga a fronteira da Ameijoeira, em Castro Laboreiro, a Tourém, nas terras transmontanas, transpondo as quatro serranias que constituem o Parque Nacional da Peneda-Gerês (PNPG).

Aqui o percurso entre Ameijoeira e a Sr.a da Peneda.

Aqui o percurso entre as Caldas do Gerês e Fafião.

Aqui o percurso entre Fafião e Xertelo.

Aqui o percurso entre Xertelo e Paradela do Rio.

Este traçado faz-nos percorrer caminhos rurais, estradões e carreiros de montanha, visitando paisagens de largos horizontes, pequenos vales e pontos históricos dos Serviços Florestais que antecederam os actuais serviços do Parque Nacional.






A GR 50 entra em S. João Baptista do Campo do Gerês vindo da Rua da Geira e depois flectindo para a longa Rua dos Carreiros, passando então junto ao edifício da Junta de Freguesia do Campo do Gerês e prosseguindo, passando pelo Rio Rodas sobre a ponte românica, até entroncar na estrada municipal M533 que a fará passar junto da Porta do PNPG de S. João do Campo, do Museu Etnográfico de Vilarinho da Furna e do Museu da Geira, sem dúvida três pontos que merecem demorada visita!

Virando à esquerda junto do Cruzeiro do Campo e entrando na estrada nacional EN307, a grande rota irá abandonar a estrada quando uns 430 metros mais adiante irá enveredar por um caminho florestal que nos levará a passar perto de Bustelo e mais adiante chegar às proximidades da Casa Florestal de Junceda. Aqui, vira à direita e seguindo pelo estradão vamos passar pelo Miradouro de Junceda que nos proporciona bela paisagem desde os píncaros faroleiros do Pé de Cabril e da Portela de Leonte até às vertentes da Cabreira passando pela encosta nascente do Vale do Rio Gerês até à albufeira da Barragem da Caniçada.






Com o miradouro a ficar para trás à medida que vamos avançando, e já também no traçado do Trilho dos Miradouros, passamos a Este do Alto de Lamas com o seu altaneiro e lustroso marco geodésico. Caminhando em caminhos de pé-posto, depressa entramos nos martirizantes estradões até iniciarmos a descida para o Miradouro da Fraga Negra já nas faldas das Caldas do Gerês. Antes da descida, temos a oportunidade de nos desviarmos da Grande Rota e seguindo o traçado do Trilho dos Miradouro, «darmos um salto» ao formoso Miradouro da Boneca. Aqui não é necessário voltar para trás, pois o traçado desta Pequena Rota irá entroncar com a GR 50 mais adiante.

Bom, a descida final até à Fraga Negra é feita por entre um bosque de mimosas, mas a passagem pela Fraga Negra depressa nos fará esquecer triste episódio. Prosseguimos então e ignoramos a palermice dos Cachineiros, continuando a descer até à Pereira com a sua antiga casa florestal e o moderno campo de futebol do Grupo Desportivo do Gerês. A rota vai levar-nos a passar junto da Cascata das Caldas e depois do Penedo da Freira, entrando nas Caldas do Gerês pela Rua da Carvalha.

Ficam algumas fotografias do dia...





















Fotografias © Rui C. Barbosa (Todos os direitos reservados)

Sem comentários: