sábado, 25 de maio de 2019

Paisagens da Peneda-Gerês (CCCLXV) - Primavera nas Minas dos Carris


Quando a serra se veste e se perfuma de Primavera; ruínas das Minas dos Carris, Serra do Gerês.

Fotografia © Rui C. Barbosa (Todos os direitos reservados)

sexta-feira, 24 de maio de 2019

Iniciadas as obras de requalificação da estrada florestal da Albergaria


A Câmara Municipal de Terras de Bouro deu início às obras de requalificação da estrada florestal da Albergaria.

Os trabalhos foram iniciados no troço S. João do Campo - Albergaria, a partir da Guarda, S. João do Campo, executando-se o nivelamento do piso, alargamento da via em determinados locais e limpeza das bermas.


Fotografias: Paulo Figueiredo.

Limpeza e Requalificação da Rede de Trilhos na Senda de Miguel Torga


A Câmara Municipal de Terras de Bouro mantém em curso várias intervenções no sentido de renovar a Rede de Trilhos “na Senda de Miguel Torga”.

Dando continuidade aos trabalhos já efectuados, desta vez, o Município procedeu à remarcação da Grande Rota (GR) 34 da Serra Amarela e à alternativa do PR 9 – Trilho da Geira Romana, fazendo este passar pela capela da Sr.ª da Nazaré localizada em Chorense.  Para além das remarcações mencionadas, a equipa de Sapadores Florestais finalizou as intervenções nos trilhos PR1 – Trilho Cidade da Calcedónia, PR2 – Trilho do Castelo, PR6 – Trilho dos Miradouros e PR13 – Trilho da Caniçada, oferecendo uma experiência mais segura e apelativa ao nível da envolvente natural e dos pontos de interesse que cada um oferece.

Texto e imagem: Câmara Municipal de Terras de Bouro

Sessão de esclarecimento sobre o esvaziamento da albufeira da Barragem de Paradela


Esta sessão de esclarecimento terá lugar pelas 14h30 do dia 27 de Maio de 2019 nas instalações da sede da União de Freguesias de Paradela, Contim e Fiães do Rio, em Paradela.

quinta-feira, 23 de maio de 2019

A flora e a vegetação do Planalto da Mourela


A flora e a vegetação do Planalto da Mourela estarão em destaque no dia 25 de Maio com mais uma iniciativa do Conversas na Mourela.

A apresentação terá início pelas 15h30 no Centro de Interpretação do Planalto da Mourela.

Paisagens da Peneda-Gerês (CCCLXIV) - Serra da Peneda


O imenso Vale do Rio da Peneda, Serra da Peneda, vislumbrando-se em último plano o Santuário da Sr.a da Peneda.

Fotografia © Rui C. Barbosa (Todos os direitos reservados)

quarta-feira, 22 de maio de 2019

Uma critica ao texto "Road Trip por um Santuário Natural chamado Gerês"


Não sei porque ainda continuo a perder tempo ao ler, mesmo de forma parcial, este tipo de textos. Talvez seja pelo facto de estarem cheios de erros para os quais não se tem o cuidado de fazer uma revisão final do mesmo. Talvez seja pelo facto de me importar de verdade pelos locais aqui visados. Ou talvez seja pelo facto de achar que cada coisa merece o seu verdadeiro lugar e que a má informação e o descuido não devem ter lugar na divulgação do que é o Parque Nacional da Peneda-Gerês e de cada um dos seus lugares na sua singularidade.

Quando vejo um título como o do artigo em questão, sinto logo um arrepio e penso logo "lá vem mais um texto com erros e informação propositadamente errada... ou então com propósita ignorância." Com o título "Road Trip por um Santuário Natural chamado Gerês", já imaginamos o que nos espera: que todo o Parque Nacional é o Gerês, que Sistelo está dentro do Parque Nacional, que os nomes inventados devem ser divulgados (mesmo que se junte os topónimos correctos), que coloquemos dentro do Parque Nacional lugares aos quais não pertence.


Comecemos pelo princípio... "Com uma extensão total de 72 mil hectares, para conhecer o Gerês a fundo seriam necessárias semanas. Por isso, o All About Portugal fez uma seleção dos 12 pontos a não perder numa road trip de dois dias inesquecíveis por uma das mais belas regiões de Portugal. O Parque Nacional da Peneda-Gerês abrange as serras do Gerês, Peneda, Amarela e Soajo, mas é conhecido sobretudo por Gerês. A palavra basta, aliás, para quem já conhece associar imediatamente a magníficas paisagens, cascatas de cortar a respiração, aldeias perdidas no tempo, calçadas milenares e, claro, à vila termal." Não, não basta! As diversas serras que compõem o Parque Nacional são distintas por natureza e querer generalizar chamando-lhe 'Gerês' não é correcto; a Peneda não é o Gerês, Soajo não é o Gerês e a Amarela não é o Gerês! Talvez todo o Parque Nacional seja conhecido por 'Gerês' devido a este tipo de artigos que assim criam a falsa ideia de que tudo é Gerês. Não é! Aliás, quem já o conhece, e não leu este tipo de textos, sabe muito bem a diferença!

"São Bento da Porta Aberta"... falamos do Parque Nacional ou da Serra do Gerês? A inclusão deste lugar neste texto dá-nos a ideia de que está no Parque Nacional, já que logo ao princípio a autora fez questão de confundir o PN com o Gerês (ou Serra do Gerês)! Com que ficamos?

"Cascata do Tahiti – Fecha das Barjas"... Não existe essa coisa do Tahiti na Serra do Gerês, apenas a ignorância jornalística (ou aqueles que se estão borrifando para aquilo) continuam a propagar este nome. Por isto, e se fosse um jornal, era o suficiente para o rasgar!

Sobre a "Cascata do Arado" escreve-se esta maravilha "Estacione perto da ponte e suba por uma escadaria que conduz a um miradouro, onde poderá contemplar a beleza dos seus 900 metros..." Espero que se saiba que a cascata está a 900 metros de altitude e que não tem 900 metros de altura. Esse Português...

"Cascata da Portela do Homem"... não existe! O topónimo é "Cascata de S. Miguel". «Estudasses...»

"Vilarinho das Furnas"... O texto diz-nos, "...poderá ainda vislumbrar as ruínas da aldeia de Vilarinho das Furnas..." Vilarinho da Furna!



"Ponte de Misarela" Mais uma vez, a inclusão deste lugar neste texto dá-nos a ideia de que está no Parque Nacional, já que logo ao princípio a autora fez questão de confundir o PN com o Gerês (ou Serra do Gerês)! Com que ficamos?

"A Porta do Mezio é uma das cinco portas de entrada para o Gerês..." Falso! Mas como se confunde o Parque Nacional com o Gerês, vale tudo!

"Aldeia de Sistelo" Está fora do Parque Nacional e muito longe da Serra do Gerês.

Em resumo, um mar artigo sobre o Parque Nacional cheio de erros e informações falsas.

Terras de Bouro assinala 10 anos da criação da Reserva da Biosfera


O Núcleo Museológico de Campo do Gerês terá uma jornada de Portas Abertas, com visitas gratuitas a este espaço, no dia 26 de Maio de 2019 para assinalar o 10.º aniversário da criação da Reserva da Biosfera Transfronteiriça Gerês – Xurês.

terça-feira, 21 de maio de 2019

"No Minho, um passeio sob um céu de estrelas a mais de 300 metros de profundidade"



Um texto sobre o céu estrelado nas profundezas da Serra Amarela, para ler aqui.

É no concelho de Ponte da Barca, em pleno Parque Nacional da Peneda-Gerês, que nos embrenhamos no âmago da montanha. Calcorreamos quilómetros de túnel escavado no granito. Estrutura de apoio à Barragem do Alto-Lindoso. No coração da Serra Amarela, há um mundo de gigantismo, onde cabe uma nave sob um céu estrelado.

Fotografia: Sapo Lifestyle

Paisagens da Peneda-Gerês (CCCLXIII) - Ponte da Dorna


A Ponte da Dorna, Serra da Peneda.

Fotografia © Rui C. Barbosa (Todos os direitos reservados)

"Seis brigadas CNAF vão estar posicionadas no perímetro do PN na fase de maior empenhamento operacional"


Do blogue Soajo em Notícia para ler aqui.

O dispositivo de combate a incêndios rurais no Alto Minho foi apresentado no passado dia 17 de maio em Arcos de Valdevez. Sob o lema do “compromisso”, o grande objetivo do sistema reside na proteção de pessoas e bens

Fotografia: Soajo em Notícia

segunda-feira, 20 de maio de 2019

Paisagens da Peneda-Gerês (CCCLXII) - Várzea


A aldeia de Várzea, Serra do Soajo, viu quase a totalidade dos seus campos serem submersos pelas águas da albufeira da Barragem do Alto Lindoso, em 1992.

A situação geográfica da aldeia constituiu durante muitos anos um difícil obstáculo à comunicação. O caminho para se chegar à sede da freguesia, Soajo, ou ao centro do concelho, Arcos de Valdevez, tinha de se fazer a pé. A partir de 1960, surgiu a primeira estrada florestal, que por um circuito de 25 Km que passava por Adrão, que ligava a aldeia a Soajo. A partir de 1982 o trajecto foi encurtado com a estrada municipal que liga Cunhas a Soajo.

Antes de haver estrada, a população só se deslocava a Soajo pela época das grandes feiras, para vender, comprar ou trocar produtos. Se um doente precisasse de médico e não pudesse caminhar, teria de ser levado de padiola até Soajo. E só a partir daí poderia ser transportado de automóvel até à vila de Arcos de Valdevez. (1)


Fotografia © Rui C. Barbosa (Todos os direitos reservados)

"Gritos na Penumbra" já disponível em venda on-line


"Gritos na Penumbra" é o segundo livro de fotografia e prosa poética do autor Rui C. Barbosa.

O livro já se encontra disponível em venda on-line aqui (em versão papel) e aqui (na versão ebook). O livro também pode ser adquirido através do facebook aqui.

Em seguimento do seu primeiro livro, esta é a segunda incursão na prosa poética onde abundam os sentimentos gerados pelas paisagens de montanha, em em especial pelas paisagens da Serra do Gerês, e pela personalidade saudosista, além da irreverência do Amor.

O tema deambula entre as serranias Geresianas, a maior das paixões deste escritor, que já nos habituou imenso às suas palavras fortes que mais uma vez nos deixam a sonhar com noites nevadas, ventos frios à lareira, entre o crepitar do fogo e o uivar dos lobos.

Este é um livro de fotografia e textos de prosa poética inspirado nas serranias Geresianas, na saudade e no Amor.

domingo, 19 de maio de 2019

Biscoitos Beneditinos S. Bento na segunda fase do concurso '7 Maravilhas Doces de Portugal'


Os biscoitos de castanha e mel da Serra do Gerês, conhecidos como 'Beneditinos de S. Bento' são um dos nomeados para a segunda fase do concurso '7 Maravilhas Doces de Portugal'.

O vosso apoio é importante! Vejam aqui!

Vejam a página no facebook aqui!

Eis a sua história...

Com a extinção das ordens religiosas em 1834, dia 28 de Maio, muitos dos segredos da doçaria conventual passaram os muros dos mosteiros e foram adoptadas por familiares ou amigos dos monges e das monjas.

Muitas destas receitas perderam-se definitivamente. Outras, como é o caso, foram sendo adaptadas e modificadas ao longo do tempo por doceiras, senhoras que tinham criatividade e não teriam a posse plena das receitas originais. Assim, hoje, muitos dos chamados “doces conventuais” têm esta origem.


Numa formação de doçaria tradicional, promovida pela Irmandade de S. Bento da Porta Aberta e ministrada por um formador da ATHACA, uma das senhoras que frequentou a formação, com alguma experiência no fabrico artesanal de doçaria, baseando-se nas “estórias” que tinha ouvido contar sobre este património e usando ingredientes que os mosteiros próximos teriam usado (mel e castanhas), imaginou a receita que deu origem aos “Biscoitos Beneditinos”, homenagem aos monges de ali perto (Rendufe e Santa Maria de Bouro).

A forma dos biscoitos foi criada para lembrar a auréola que se vê nos santos, e desse modo, vincar o quanto esta receita deve aos filhos espirituais de S. Bento que foram ali vizinhos e que desde 1614 é venerado como S. Bento da Porta Aberta.

Travessia do Maciço Central dos Picos de Europa


Regresso aos Picos de Europa em Junho de 2019! Ainda temos duas vagas!!!

Programa

Dia 12/06 - 07:00
Porto – Braga - Leon - Arenas de Cabrales
Pernoita em Arenas de Cabrales

Dia 13/06 – 07:00 
Arenas de Cabrales – Poncebos. 
Caminhada de 5km de Poncebos para Bulnes com pernoita no Albergue de Bulnes

Dia 14/06 – 08:30 
Caminhada de 9km da Aldeia de Bulnes para Refúgio Vega de Urriello (via Pandebado) com pernoita no refúgio Vega de Urriello (Naranjo de Bulnes) 

Dia 15/06 – 09:00
Caminhada de 11 km desde o Refúgio Vega de Urriello para aldeia de Espinana (via Horcados Rojos) com passagem pela Cabana Verónica e descida por teleférico para Fuente Dé. Pernoita em albergue em Espinama

Dia 16/06 – 08:30
Visita a aldeia de Potes e ao Centro de Interpretação dos Picos de Europa em Sotoma com regresso a Braga / Porto pelas 19:00 / 20:00 

NOTA: Os albergues e refúgio dispõe de cozinha para poderes confeccionar os teus alimentos. Pelo caminho iremos parar em supermercado para abastecimento.

O que terás que levar 
Botas de montanha
Mochila de 30 litros (caminhadas)
Saco cama (facultativo) os locais de dormida dispões de cobertores e almofada
Bastão de marcha (obrigatório) 
Impermeável ou poncho 
Roupa adequada a época 
Cantil e lanterna 

Dificuldade: Média / Alta 

Características do passeio 

Travessia do maciço central (norte e sul) do Parque Nacional dos Picos de Europa 

Passagem pelo Perímetro do Parque 

Numero mínimo de participantes: 7 

Numero máximo de participantes: 14 

Inclui: Transporte, seguro de acidentes pessoal, guia, teleférico, pequeno-almoço e pernoitas em albergue

Não Inclui: Almoço e jantar (NOTA: O Albergue de Bulnes e Refúgio de Vega de Urriello dispõe de serviço de jantar na qual o participante poderá reservar e pagar no local. Em Espinama existem restaurantes e supermercado)

Valor da inscrição por participante: 265€ 

INSCRIÇÃO OBRIGATORIA ATÉ AO DIA 10 DE MAIO 2019 
Deverá mencionar nome completo, data de nascimento, número de CC e NIF

Inscrições e informações
E-mail: pederiosgeral@gmail.com 

(o valor da inscrição reverte para aluguer de viaturas, seguros, combustível, guia, teleférico, albergues e portagens)

Fotografia © Rui C. Barbosa (Todos os direitos reservados)