domingo, 25 de novembro de 2018

264... Minas dos Carris, uma mina três caminhadas... mais ou menos


Minas dos Carris, 24 de Novembro de 2018

Três dias na Serra do Gerês com o objectivo de fazer três caminhadas às Minas dos Carris. Infelizmente, as condições meteorológicas e em certa parte as condições do terreno só permitiram fazer de uma das três caminhadas.

Com a chuva a cair há já vários dias na Serra do Gerês não seria necessário ir ao terreno para se saber que o caudal das ribeiras não iria permitir a passagem por alguns dos locais previstos para a caminhada entre a Corga da Abelheira e as Minas dos Carris. A caminhada poderia ser prolongada para evitar essas passagens, mas as condições de luz ao final do dia não iriam permitir um regresso em segurança.

Foi então decidido fazer no primeiro dia o percurso entre a Ermida da N.ª S.ra do Xurés e as Minas dos Carris passando pelas Minas Mercedes Las Sombras. Dois quilómetros depois de iniciar o percurso verificou-se que o estado da Ponte de Pião de Paredes ameaça uma queda eminente no rio e um prudente aviso por parte do governo regional Galego, avisa que a ponte não deve ser atravessada. Neste dia acabei por visitar o Curral do Conho.




24 de Novembro amanheceu com chuva que acabaria por nunca deixar de cair ao longo de todo o dia, engrossando à medida que o tempo foi passando os ribeiros que iam alimentado o Rio Homem, transformando-o numa besta demoníaca e descontrolada ao final do dia.

A caminhada fez-se pelo Vale do Alto Homem seguindo o antigo estradão mineiro que na maior parte do seu percurso estava transformado num verdadeiro rio devido ao anos e anos de desleixo na sua manutenção. A certa altura, principalmente no regresso, já não havia a preocupação de se desviar da água e caminhava-se dentro dela num exercício de canyoning pedestre.



A neve só se começou a avistar em quantidade apreciável depois de passar o Modorno, com o vislumbre do cume do Outeiro Redondo pintado de branco. Até ao Teixo a caminhada era dificultada pela água, mas foi a partir das Águas Chocas que a caminhada se tornou mais complicada devido ao estado da neve demasiado húmida que escondia verdadeiros rios por baixo. Caminhou-se assim até às Minas dos Carris, coma neve a chegar quase ao joelho.

Abrigados no único local que proporciona algo a que se pode chamar abrigo, foi altura de trocar de roupa e comer algo quente antes de iniciar um penoso regresso à Portela da Homem com a paisagem a oferecer cascatas somente vistas nestes dias de chuva intensa e o Rio Homem em fúria!

Algumas fotografias do dia...
















































Fotografias © Rui C. Barbosa (Todos os direitos reservados)

Sem comentários: