quarta-feira, 10 de setembro de 2014

Trilhos seculares - À volta do Pé de Cabril


Este foi um percurso de curta distância em volta do Pé de Cabril mas cujo principal objectivo inicial era o de visitar um vértice geodésico que se encontra sobre o Vale do Rio Gerês e que nos permite uma fantástica paisagem sobre o vale até à albufeira da Caniçada.

O percurso foi iniciado junto à Casa Florestal da Portela de Leonte e seguiu pelo caminho que se inicia junto ao monumento a Artur Ribeiro ate chegar à Portela do Confurco. Aqui temos as usuais opções de virar em direcção aos terrenos do Marinho (Varziela, etc.) ou seguir em direcção ao Pé de Cabril. Seguindo nesta última direcção o carreiro está bem marcado tanto devido à constante passagem de pessoas como com a colocação de mariolas. Prossegue-se até se começar a ver o Curral do Tirolirão lá mais em baixo enquadrado na paisagem pelo Prado Marelo e pela Serra Amarela.

Traçado do percurso e perfil de altitude


Nesta zona o caminho divide-se em dois, se bem que a deriva à direita não é muito perceptível. Devemos ter atenção às mariolas que serão de importância no percurso até ao Covelo de Cima. O caminho foi recentemente limpo, por isso facilmente se notará a sua progressão ao longo da encosta. A paisagem divide-se sobre a albufeira de Vilarinho da Furna e as encostas selvagens da Serra Amarela. De progressão muito fácil, vamos chegar à Portela do Perro e a partir daqui o carreiro começa a «descer» em direcção ao Covelo de Cima. O Sarilhão vai-se fazer notar durante longos minutos na paisagem à nossa direita enquanto que o carreiro vai seguindo pela encosta ora ligeiramente subindo para vencer alguma geologia, ora descendo. Por entre um mar de fetos e carvalhais espontâneos vamos passar por um interessante ponto de água que nos meses mais chuvosos será um ponto de interesse peculiar, mas talvez de complicada passagem. Aliás, nesta parte do percurso a sua progressão nos meses de Inverno deverá requerer um cuidado extremo ou pela água ou pelo gelo que tornarão certos pontos mais complicados. A encosta desce abruptamente do nosso lado direito, por isso convém ter a certeza de onde se colocam os pés.

Chegados ao Covelo de Cima existem duas opções que podemos tomar: ou seguimos já em direcção aos Prados ou fazemos um pequeno desvio para passar pelo Prado de Gamil. Para prolongar um pouco o percurso decidi passar pelo Prado de Gamil e visitar o seu velho forno de pastores. Mais uma vez o percurso aqui está bem marcado pela recente limpeza realizada. Antes de chegar a Gamil existe ainda possibilidade de se tomar um outro carreiro que nos vai levar pela encosta do Sarilhão e que será percorrido noutro dia.


Depois de passar pelo Prado de Gamil toma-se durante poucos metros o percurso do Trilho das Silhas dos Ursos, mas logo tomamos um carreiro à esquerda que nos levará aos Prados com o seu abrigo e as suas velhas árvores. Seguindo-se em direcção ao Pé de Cabril, passamos pelo Trono do Rei e aqui decidi fazer um curto desvio que me levou até ao vértice geodésico do qual desconheço o nome (pensava ser o topo da Costa de Istriz, mas obviamente esta fica mais a Sul). Voltando ao carreiro na direcção do Pé de Cabril regressei à Portela de Leonte descendo pela parte inicial da corga que terminará na Cascata de Leonte. Este caminho foi limpo em meados de 2011 e apesar de já ter muita vegetação consegue ser facilmente percorrido.

Utilizando as ferramentas disponíveis no Google Earth, este foi um percurso com 7,09 km e uma elevação máxima de 1.102 metros (mínima de 839 metros). 

Algumas imagens do dia...
















































Fotografias © Rui C. Barbosa

Sem comentários: