segunda-feira, 1 de julho de 2013

199... Um novo dia (II)


Carris, 30 de Junho de 2013

...suavemente deslizando para os momentos onde a realidade se mistura com a fantasia dos sonhos, acabei por perder o surgir da Lua no horizonte. Quando dei por ela, já estava bem altaneira a passear pelas constelações e a linha a Este já estava bem marcada com o rubor da alva que ia surgindo aos poucos.

Mesmo com as festividades e a música da distante Pitões, o silêncio era quebrado também aqui e ali pelos sons da noite. Ao longe, a corça avisava o resto do grupo que as ruínas não estavam sós e com o passar das horas o típico som dos morcegos era substituindo pelo tímido chilrar matinal dos pássaros que saudavam a luz de um novo dia.

Ao longe, no horizonte, os tons iam-se sucedendo como na tela de um pintor indeciso. Num céu quase sem nuvens, restava a certeza da hora em que os raios de Sol brotavam da terra, se bem que o espectáculo começara muito antes. Todos os grandes picos de Pitões bem como a Nevosa, iam-se tornando cada vez mais parte da paisagem à medida que a luz ia inundando os contornos da montanha...

Fotografias: © Rui C. Barbosa

Sem comentários: