quinta-feira, 21 de julho de 2016

Trilhos seculares - Casarotas e Curral do Ramisquedo na Serra Amarela


Regresso à Serra Amarela para visitar as Casarotas e percorrer parte do trilho de grande rota GR34 - Trilho Interpretativo da Serra Amarela.

O percurso foi iniciado junto da Barragem de Vilarinho da Furna e enveredando pelo matagal que cobra a parte inicial do percurso (escadas e vertente inicial) ao subir o Peito de Gemesura. A paisagem vai ganhando alma à medida que vamos ganhando altitude e o deslumbramento com a Serra do Gerês que se estampa à nossa direita vai sendo cada vez mais elevado quando nos aproximamos do Alto de Gemesura.

As marcações do percurso vão apresentando os sinais do tempo e a falta de manutenção naquele que pode ser um dos melhores trilhos de montanha de Portugal. Algumas marcações em pedras soltas encontravam-se caídas e foram recolocadas no devido local à nossa passagem.

Deixando o Alto de Genesura para trás, prosseguimos até à Chã de Cima em direcção a Candeiró e depois até às enigmáticas Casarotas. Nesta fase são inexistentes as marcações do GR34 que entretanto segue em direcção a Brufe. Prosseguimos o percurso passando sobre o Fojo de Vilarinho depois do Poulo do Vidoal em direcção à Chã do Muro, tudo isto ladeando as profundezas da Corguinha Má e da Mosguenda. Não seguindo o GR34 nesta fase, tomamos um velho carreiro sobre as Furnas e passamos pela Casa das Neves, baixando de seguida para o Curral do Ramisquedo. Antes de regressar a Vilarinho da Furna, visitamos uma cabana abaixo de Porto Covo, seguindo depois por Peijoqueiras, Coriscadas, Toutas e descendo depois para o Fundo do Peiro da Rocha, seguindo depois para o Porto das Furnas e ladeando a margem da albufeira que nesta altura submerge tanto a aldeia de Vilarinho da Furna como parte do GR34.

Uma nota final sobre o GR34: penso que já seria tempo de os dois municípios que implementaram o GR34, tomarem medidas para melhorar o percurso no que diz respeito à sua sinalética e à sua conservação. Vários meses após as referências à s deficiências que o percurso apresenta, começa a não ser admissível que esta excelente Grande Rota permaneça com os problemas com os quais foi entregue pela empresa que o demarcou.

Algumas fotografias do dia...

















































































Fotografias © Rui C. Barbosa (Todos os direitos reservados)

2 comentários:

Célitos disse...

Olá Rui a Cabana que falas abaixo de Porto Covo é a Cabana de Peijoanas construida em 1954 pelo pessoal dos Montes de Vilarinho e recuperada em 2013 pela Afurna

Rui C. Barbosa disse...

Excelente! Obrigado pela nota!